Santander e o poder do exemplo

por The Winners
Patrícia Audi, Vice-presidente executiva do Santander Brasil, é responsável pelas áreas de relações institucionais, sustentabilidade, cultura, patrocínios e eventos. Com trajetória ligada também ao setor público, atuou nos âmbitos municipal, estadual e federal. Foi Secretária de Gestão do Governo Federal, Secretária de Transparência da CGU e Secretária do Conselho

Com sua sede instalada às margens do rio Pinheiros, na zona Sul de São Paulo, o Santander Brasil consolidou-se como um ator fundamental no notável processo de transformação cada vez mais visível na região. Entre outras ações, o Banco investiu na revitalização da ciclovia São Paulo, na conversão da estação de trem da Vila Olímpia na primeira sustentável do país, no desenvolvimento do Parque Bruno Covas e também em projetos de despoluição do rio. Tudo isso tem contribuído de maneira determinante para o desenvolvimento sustentável de uma área nobre, mas pouco frequentada da capital paulista. O objetivo é trazer a população para o entorno do rio, que pode se consolidar como um dos principais pontos turísticos da cidade nos próximos anos. “Se cada empresa contribuir para o desenvolvimento da região onde atua, toda a cidade será rapidamente transformada para melhor. Fazendo isso de maneira sustentável e recorrente, o impacto se multiplica e vai muito além dos benefícios locais, contribuindo para a qualidade de vida de milhões de pessoas”, diz Patricia Audi, vice-presidente do Santander Brasil. Uma das ações pioneiras foi a transformação da movimentada parada de trem da Vila Olímpia da CPTM na primeira estação de trem sustentável do país. Ela ganhou um sistema de reaproveitamento de água de chuva, dezenas de placas fotovoltaicas para geração de energia solar, um novo e amplo bicicletário, um jardim vertical, além outros serviços. Tudo isso desenvolvido com o apoio e patrocínio do Santander. “As 14 iniciativas sustentáveis que colocamos em prática aumentaram a eficiência no uso de recursos naturais e melhoraram a qualidade da experiência dos mais de 35 mil passageiros que passam pela estação a cada dia da semana”, afirma Patricia Audi. A confiança do Banco nesta iniciativa é tão grande que o projeto utilizado para a transformação da estação é público e está disponível para que qualquer outra empresa o coloque em prática em outras estações. “Queremos que este espaço seja uma vitrine que inspire outras empresas e governos para que iniciativas semelhantes se espalhem por todo o Brasil”, diz. Uma das grandes atrações da região está nas próprias margens do rio Pinheiros. Do lado leste, a chamada ciclovia São Paulo passou por um grande processo de revitalização, que contou com o apoio do Santander. O equipamento ganhou uma nova pintura, marcações e sinalizações, com a criação de guaritas de alvenaria com banheiro e ar condicionado, entre outras melhorias que proporcionam mais segurança e comodidade para os visitantes. Durante o processo, mais de 50 toneladas de lixo foram retiradas e todos os 21,5 quilômetros de extensão da pista tiveram sua vegetação cuidada. Entre as novidades, estão também vestiários e o Espaço Santander, local de convivência que reúne equipamentos e serviços para uso e descanso de quem pedala. O Banco apoia os ciclistas amadores e profissionais em várias frentes. Além do apoio a ciclovias, de seguros específicos para este público e da inédita possibilidade de financiamento de bikes esportivas e elétricas, a instituição patrocina o ciclista olímpico de mountain bike Henrique Avancini e detém os naming rights da Santander Brasil Ride e da L’Étape Santander. Do outro lado do rio Pinheiros, o Santander também é o principal patrocinador do Parque Bruno Covas, administrado pelo Consórcio Parque Novo Rio Pinheiros. São 17,1 km de extensão, com pista para corrida e uma ciclofaixa que já tem 8,2 km e que ainda deve ser expandida. O parque também contará com uma nova passarela e um mirante com vista para a Ponte Estaiada, ambos flutuantes, além de quatro centros de convivência equipados. Trata-se de uma região em que o fluxo de pessoas se concentra em dias de semana, e onde a criação de novas atrações de lazer e prática esportiva também modificam a dinâmica de uso do local.

“Nossa sede está instalada às margens do rio Pinheiros, e sempre tivemos o desejo de transformar a região. Assim como levamos luz ao centro da cidade, onde estamos presentes com o Farol Santander e o nosso Quarteirão de Investimentos, estamos revitalizando esse corredor de lazer dos paulistanos, que também é uma via de transporte sustentável e saudável”, afirma Patricia Audi. Para potencializar ainda mais as possibilidades deste espaço e contribuir com a preservação do meio ambiente de forma direta, o Santander firmou fez uma parceria com IFC (International Finance Corporation), instituição ligada ao Banco Mundial, que destina US$ 100 milhões para o projeto de despoluição do Rio Pinheiros.

Negócios sustentáveis

Antes mesmo de a sigla ser cunhada, as práticas ESG (ambiental, social e governança) já estavam enraizadas na cultura da instituição, que investe em inciativas de caráter sustentável há décadas. Apenas em 2021, foram viabilizados R$ 56 bilhões para financiamentos de negócios sustentáveis em todo o país. Dentro de casa, as ações também são levadas a sério: o banco já é carbono neutro e vai utilizar 100% de energia renovável até 2025. O Santander também se comprometeu a atingir emissão líquida zero de carbono até 2050, em ação que envolve tanto o próprio banco quanto seus fornecedores e clientes.

You may also like

Deixe um Comentário